Imprensa

XVII Conselho Coordenador avalia o impacto das políticas do sector

Data: 22/08/2017
XVII Conselho Coordenador avalia o impacto das políticas do sector

O Ministério da Juventude e Desportos realizou, de 17 a 18 de Agosto, do ano em curso, o seu 17º Conselho Coordenador, no Estádio Nacional do Zimpeto, com o objectivo de avaliar e coordenar as actividades dos órgãos centrais e locais, nos domínios da juventude, desporto e voluntariado. Em termos específicos, o Órgão fez o balanço do Plano Económico e Social 2017, analisou o Plano Económico e Social para 2018, estratégias, métodos e técnicas com vista a realização das actividades do sector.

Porque a reunião, era firmada em propósitos claramente virados para o bem-estar da juventude e do progresso do desporto no País, o sector teve o privilégio de contar com a presença e encorajamento de diversas personalidades, do Governo, da sociedade civil, do movimento associativo juvenil, voluntário e desportivo
Foi enaltecida a entrega de todos os participantes, em representação das diferentes unidades orgânicas do Ministério da Juventude e Desportos, que não pouparam esforços, demonstrando firmeza mesmo nos momentos em que a dinâmica da abordagem dos temas parecia abrasar o ambiente, durante os dois dias de profunda reflexão e avaliação do papel, enquanto timoneiros dos sectores da Juventude e do desporto em Moçambique.
Refere-se, que é interesse que a Juventude tenha um tratamento especial na governação, pontificando a habitação, o emprego e a saúde dos adolescentes e jovens. Durante o coordenador foi constatado que a directriz emanada pelo Governo, cujo vector é incentivar a auto-construção de habitação no seio dos jovens, ganhou firmeza ao longo dos debates havidos. Todavia, porque as questões que apoquentam a juventude são de cariz transversal, mostra-se premente, por um lado, um maior impulso à articulação e envolvimento dos Governos locais.
Dada a conjuntura de limitada oferta de emprego no mercado, o nosso 17º Conselho Coordenador sublinhou a via do provimento de condições para o florescimento do auto-emprego, através do apoio a iniciativas juvenis empreendedoras.
E no que se refere ao Desporto, a reflexão, na magna reunião, conduziu a potenciação de vias adicionais, associadas a como fazer desporto no contexto de restrição financeira. Nos debates, foram afloradas e partilhadas várias experiências e abordagens, apontando para a capitalização dos espaços desportivos, as SADS, os atletas e oportunidades de bolsas de valor, de forma a rentabilizar o desporto retirando-o da dependência das transferências do Orçamento do Estado, havendo sempre o imperativo de se continuar a apostar na massificação desportiva, conjugados a formação de agentes desportivos.
No domínio da avaliação do desempenho do Sector, com vista a melhor a planificação nos próximos anos, foram apreciados importantes instrumentos, destacando a Matriz de Decisões do 16º Conselho Coordenador, o Balanço do Plano Económico e Social de 2017, referente ao primeiro semestre, Balanço do Meio Termo do Programa Quinquenal do Governo 2015-2019, e a Proposta do Plano Económico e Social para 2018.